Nossas pequenas vitórias

O infeliz nem dá seta e entra. A vontade é de xingar muito no twitter! Soltar todos os palavrões possíveis e impossíveis para mostrar o tanto que aquele cara é um babaca. O cara quase que faz um estrago imenso, pois na velocidade que estávamos iria sobrar pra muita gente. Ahhh mas vou ter que falar!

Como entrei no mesmo acesso da via, dá tempo! Vou pegá-lo e ele vai escutar! Acelero o carro… corto um, dois, três… Faço manobras que só um bom piloto faz! Não sou barbeiro igual aquele filho da [email protected]#$&! Ele vai aprender!

Assim que consigo alcançá-lo, abro a janela, estendo minha mão com aquele dedo que você sabe em riste e o mando para aquele lugar com todo prazer que só um belo palavrão de boca cheia pode proporcionar!

Ahhh agora sim… ele teve o que merece… e as mais variadas justificativas surgem em minha cabeça me mostrando que eu poderia provar o tanto que ele foi um imbecil! Além disso, percebo que as pessoas deveriam ser como eu no trânsito, pois enquanto houver babacas como ele, tudo vai ser como sempre será: um caos!

vitória carro

Chego ao estacionamento da empresa. Tiro o celular, abro o Facebook e faço um belo texto explicando o quão idiota são as pessoas que não respeitam as leis de trânsito e não prestam atenção às sinalizações e aos outros veículos. Textão para ver se a galera acorda pra vida!

Entro em meu escritório, dou bom dia para alguns – há alguns que não merecem – e deixo minhas coisas em minha mesa para tomar um café na copinha da empresa. Ao chegar lá, trato de pedir logo a vitamina de banana que adoro e faço aquela cara de poucos amigos para ver se a Dona Margarida anda rápido. Aquela velha rabugenta é muito chata e muitas vezes ela não faz a droga da vitamina falando que tem muita gente pra ser atendida, você acredita nesse absurdo? Folgada!

Não falei que a cara de poucos amigos funciona? Bebendo a vitamina, cumprimento a galera, conto do ocorrido do trânsito de mais cedo e, papo vai papo vem, o assunto foi parar em política! É claro que o povo não sabe de nada. Nego toma a bandeira daquele partido como se fosse a solução e acha que vai resolver alguma coisa! Só tem bandido! Se eu fosse presidente as coisas seriam diferentes, porque esses bandidos só pensam em roubar! Eu devia era me candidatar, isso sim!vitória debate

Em meia hora de papo, deu para perceber quem entende do assunto. Sempre terminam calado quando conversam comigo! Não tenho muitos amigos, mas os poucos que eu tenho sabem quem entende das coisas! Por isso gostam de mim. Além disso eu nunca levo as piadinhas pra casa! Sempre tenho uma resposta na ponta da língua! Sou foda! O cara acha que me pegou e toma uma de volta! Nunca perco. Hahaha…

Vamos lá, trabalhar! Embora a verdade é que nesse lugar aqui ninguém trabalha direito! Bando de puxa saco do chefe. Há dez anos estou aqui e ainda não perceberam o meu potencial! Ahhhh esse povo ainda vai ver! Ainda vou ser promovido e o que mais vai ter é foto no meu Facebook, Instagram e o escambau de lugares tops, piscinas, bebidas, pessoas bonitas e praias, muitas prais! Adoro praia! O povo vai babar quando eu chegar lá!

Enquanto esse protagonista vive sua vida com suas pequenas vitórias, em outro carro naquela mesma manhã, naquele mesmo trânsito, um garoto atento à sua janela brinca com a paisagem em sua imaginação. Fingindo que ele pode saltar de árvore em árvore, alternando para postes e vice-versa, passando pelos telhados de cada construção e de cada montanha. Quando é pego de surpresa por três carros que passam em alta velocidade, o motorista de um deles estava com o braço pra fora apontando um dos dedos para o motorista do outro carro. Horrorizado com a cena, comenta com o pai:

– Nossa pai! Pra que que esses carros estão correndo tanto? Que povo burro! Será que eles não percebem que não adianta correr?! Eu tenho só 10 anos e já sei disso!

Nós precisamos de pequenas vitórias em nossa vida. Não vivemos sem vitórias! Só que muitas vezes, vitória pode significar conseguir ficar sem fazer nada o dia inteiro! O grande lance é que se não definimos nossas metas de modo consciente, fazemos isso inconscientemente. Pode apostar!

Alguns traçam metas melhores que outros para vencer, isso é fato. Porém, antes que você faça qualquer julgamento rápido como o do garoto de 10 anos, que já estava se vangloriando de ser esperto logo cedo, vou adicionar dois detalhes à nossa história: o cara que fechou o protagonista da história estava correndo porque gosta de adrenalina e estava tentando alcançar outro carro que, por sua vez também fechou vários outros carros no seu trajeto, em seu desespero por chegar o mais rápido possível ao hospital, pois sua mulher estava dando a luz ao seu filho no banco de trás.

Será que a partir de agora você realmente conseguirá saber quem ganhou o que nessas pequenas situações do dia a dia?

Quais têm sido as suas pequenas vitórias? Elas têm valido a energia que você coloca para ganhá-las?

Comente sobre o que achou desses personagens!

Vem comigo que no caminho eu te explico!

Assinatura Mente