Existem mais anjos que demônios!

“Ela acreditava em anjos e, porque acreditava, eles existiam.”

Clarice, tinha razão! Se demônios existem, é óbvio que anjos também! Falamos sobre os nossos demônios na semana passada e você pôde perceber como eles se manifestam em nossas mentes. Da mesma maneira que conversamos naquele texto, não estamos aqui tentando provar por jogo semântico qualquer evento metafísico que possa existir, mesmo que sua crença seja a de que espíritos existem e apenas não foram provados pela ciência ainda. Estamos apenas fazendo uma metáfora da maneira que nossa mente nos trata! Ok?

Temos culturalmente a mania dicotômica do bem e do mal e isso possui inúmeras justificativas, que inclusive recebem várias críticas pelos filósofos de plantão. Não vamos debater isso, vamos apenas partir dessa dicotomia para perceber algo aqui: se não fossem os anjos, nós humanos não estaríamos vivos. Você faz ideia do porquê?

asa

O cérebro do anjo!

Pense em todo vídeo sobre tartarugas, jacarés, peixes, macacos e outros animais que você viu nos canais de entretenimento científico. A maioria deles, principalmente dos que não são mamíferos, nascem em um contato direto com a natureza e têm que se virar se quiserem viver!

Nós seres humanos não. Temos um quê de anjos, temos que cuidar para sobreviver! Pense aí quanto duraria um bebê largado sem assistência? Talvez você tenha pensado em horas no lugar de dias. Isso tem diversas razões biológicas e evolutivas. Nossos corpos evoluíram de acordo com a adaptação que fizemos dele no mundo e uma das evoluções mais significativas que ocorreu foi na nossa mente!

Segundo a teoria do cérebro trino, elaborada pelo neurocientista Paul MacLean, nós (primatas) possuímos o cérebro dividido em três partes, sendo que cada parte é um extrato evolutivo do sistema nervoso dos vertebrados, são elas:

  1. Cérebro Reptiliano: formado pela medula espinhal e pelas porções mais internas do cérebro. Assim como ocorre em répteis (por isso o nome), essa porção é responsável por emoções primárias como fome, sede e medo, ou seja, emoções ligadas à sobrevivência, portanto é daqui que sai seus reflexos simples e instintivos;
  2. Cérebro dos Mamíferos Inferiores: o segundo nível funcional do sistema nervoso, além dos componentes do primeiro nível, conta com outros núcleos responsáveis por controlar o comportamento emocional dos indivíduos. A maioria dos mamíferos se encontra aqui, por isso seu gatinho ou cachorrinho é tão gente boa!
  3. Cérebro Racional: conhecido também como neocórtex é o que diferencia os primatas dos demais animais. O pensamento abstrato que possibilita a compreensão da matemática, por exemplo, nos dá a oportunidade de criarmos e de relacionarmos com estruturas e regras sociais diferenciadas.

brain

Cada personalidade é única, mesmo que hajam padrões semelhantes. Vimos as peças que nossa mente nos prega. Peças que nos metem muito medo quando falamos sobre demônios! Vimos que muitas vezes esses medos vêm tão sutilmente que pode nos manipular inconscientemente. Porém da mesma maneira que nossa mente nos leva para esse lado, muitas vezes sentimentos diferentes daqueles causados por hormônios de origem suprarrenal – adrenalina e noradrenalina – vêm à tona. Ao invés de medo, a sensação de bem-estar também é nossa conhecida próxima e dessa vez quem manda é um hormônio chamado endorfina. Muito gente boa esse aqui! Um anjo que só!

Existem mais hormônios que causam bem-estar do que medo!

De fato, a endorfina é a mais conhecida, mas há vários outros hormônios que trazem a sensação de felicidade e bem-estar. A dopamina, a serotonina, a ocitocina e a acetilcolina são alguns exemplos. Sabe aquela história de que gente feliz não enche o saco? 😀 Pois é… Agradeça a esses hormônios!

Lembra daquele dia que você se pegou flutuando de amor? – durões se contorcendo nesse momento tentando se convencer que nunca se renderam a essa baranguice! (haha!) Não há o que você possa fazer. Você pode até se controlar por um tempo, mas o seu inconsciente fala muito mais do que seu consciente, por isso é tão importante aprender a falar com essa mente inconsciente. A Programação Neurolinguística ensina como! Fique de olho na nossa agenda para participar dos eventos e assine a lista VIP!

A liberação desses hormônios acontece muito quando a gente se apaixona! Isso acontece não só com a paixão por alguém, mas a paixão por um lugar, por uma música, por um cheiro ou até mesmo por uma causa! Não são coisas de anjos esses sentimentos? Tudo fica mais leve. Sua mente trabalha melhor! Tudo flui…

Você já pode estar associando algumas atividades a liberação dos seus anjos, certo? E acertou! Fazer atividades físicas, se alimentar bem, atividades prazerosas são libertadoras dos seus anjos. E são esses hormônios angelicais que facilitam o que nossa espécie sabe fazer de melhor, se unir para criar, para desenvolver e para acreditar. Nós somos os anjos de nossos semelhantes. Você sente isso quando recebe um convite para sair, um reconhecimento pelo trabalho bem feito ou ao se relacionar com alguém especial.

Além de sentir ao receber, você também sente esses hormônios ao ajudar o outro, ao trocar um abraço e ao doar! Os homens geralmente sentem isso até mesmo ao zoar aquele seu camarada chamando-o de feio quando na verdade aquela zoação de olho no olho passa a certeza de que ali tem um parceiro que se pode confiar.

Dar faz bem ao coração. Receber faz bem à alma!

Anjos são assim, ajudam. Compram amizades! Detalhe: amizades não se compram com dinheiro! Anjos compram amizades com atenção, com dedicação. Agora, se alguém aqui nunca sentiu uma vontade de ajudar alguém, próximo ou não, levante a mão que eu acabo de sentir vontade de ir aí te ajudar! E assim caminha a humanidade, entre truques que nos levam a percepções sob perspectivas diferentes, nem certas e nem erradas, mas que vão nos guiando na construção de nosso mapa da realidade.

Eu acredito em anjos e por isso eles existem em minha vida! Obrigado por todos os anjos que tem sido parte de minha vida, vocês são como RedBull… me dão asas! 1234

Aqui vai um abraço muito forte!

Assinatura